sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

MONTE CASCAS RESERVA 2008 "FERNÃO PIRES", TEJO


O meu amigo e produtor Helder Cunha, disponibilizou uma garrafa do seu novo vinho branco para que pudesse provar e colocar numa nota de prova.
Ficou muito surpreso com a casta Fernão Pires. Que estrutura de vinho, que intensidade que não faz lembrar o Fernão Pires, mas talvez um Riesling
Cor amarela, devido provavelmente ao estágio em madeira;aromas intensos, jovens, flores, frutos maduros, alguma casca de tangerina, toque de petroleo
Sabor seco, acidulo, floral e toque mineral, cativante , encorpado, final guloso e envolvente
Mais um grande vinhos da empresa, bem como, do Tejo.
Deguste num copo largo.

Colares PAULO DA SILVA 1987 - tinto-

O meu grande amigo Carlos Jorge, WineCompany, ofereceu-me uma garrafa de Colares.
Eu que sou doido por vinhos de Colares, estava ansioso pela prova.
Tive o privilégio de o provar no hotel do Chiado, durante um curso de vinhos que estava a leccionar.
Cor acastanhada, aromas desenvolvidos, intensos a frutos secos, madeira velha, couro, fumado, caramelo, uma panoplia de aromas que carcaterizam bem um Colares.
sabor seco, alguma frescura, frutado, passas, carmaleo, taninos ainda presentes, corpo mediano, intensidade presente e final persistente.
Vinho que valoriza com um copo largo, pois está sempre a evoluir de aromas á medidad que o tempo passa.
Obrigado
Aos formando, espero que tenham gostado, apesar de não ser um vinho fácil..

Provas entre Amigos

Alguns dos vinhos degustados num jantar de Vinhos:

1996, La Grand Dame, Vieuve Cliquot, Champagne
Cor amarela, bolha fina e esgiça; aromas intensos a bolacha de manteiga brioche, com notas de pessêgo, fruta quase passa, intensa e de grande qualidade.~
Sabor seco, acidulo, frescura presente, frutado, corpo intenso e final guloso.
Grande Champagne.
2008, Aromes de Pavie, Rosé, Chateau Pavie
aspecto límpido, cor de romã, aromas intensos a fruta vermelha, morango, framboesa, amoras; sabor seco, acidulo, alcool pouco intenso, alguns taninos, encorpado, intenos e final persistente e apeticível.
Rosé de Inverno que necessita de iguarias para demonstrar todo o seu esplendor.
Obrigado João Pires pela oferta.

1987, Garcia Pulido, Bairrada

Cor granada, com nuances acastanhadas; aroms evoluídos, madeira velha, especiarias, caramelo, pimentos, toque vegetal suave; sabor seco, acídulo ainda presente, taninos presentes, mas não muito agressivos, encorpado, intenso e final persistente.
Grande Vinho da Bairrada, com uma capacidade de envelhecimento fastástica.
Obrigado Luis, pela partilha..

1999, Francisco Nunes Garcia, Alicante Bouschet

Que dizer de um vinho que é uma incognita, pois umas garrafas são boas, outras nem por isso. Tivemos sorte, pois a que nos calhou na sorte apresentou-se magnifica.
cor granada, aromas desenvolvidos, intensos, fruta madura a notar-se ainda, com laivos de frescura vindos de uma especiaria fresca, hortelã, mangericão, pimenta; madeira a enriquecer.
Sabor seco, acidulo suave,alcool presente, frutado, encorpado, taninos presentes, grande intensidade e final apeticível, longo e envolvente.
Vinho que se encontra no seu auge....vinho para saborear...




Janeiro Concurso de Escanções


Pela primeira vez, participei nos concursos. Falo no plural, pois no dia 18 de Janeiro houve o concurso da Revista de Vinhos. A minha participação poderá ter ficado um pouco aquém das expectativas, 5º lugar, mas serviu para enriquecer a minha experiência.
Parabéns ao Santanita que ganhou.
No dia 23 de Janeiro o 13º Concurso de Escanções de Portugal, prova mais importante na área dos Escanções.
Desde já os meus parabéns a todos, os magnifícos 14 que participaram e lutam pela profissão. Todos a meu ver são vencedores, pois tentam dinamizar e mostrar a importância do serviço de vinhos no restaurante.
Aqui tive a felicidade de seguir para a final, com o Bruno Antunes e o Jean Carlo, colegas de curso de escanção no ano de 2002.
Quando disseram o meu nome, fiquei muito feliz, pois para mim estar na final pela primeira vez foi como que um agradecimento e um OBRIGADO que dediquei a quem me ajudou sempre, Prof. Mário Louro e João Pires, bem como, a todos com quem trabalhei.
Fiquei em 2ºlugar. Foi uma experiência enriquecedora, onde aprendi mais um pouco e demonstrei que estou no bom caminho, caminho esse longe de terminar, mas cada vez mais perto.
Obrigado a todos, parabéns ao Bruno, vencedor e ao Jean Carlo.
Espero que a profissão de escanção comece a entrar na "Cultura" dos portugueses e acima de tudo na orgainização dos empresários de restauração.
Um agradecimento especial à Associação de Escanções pelo seu trabalho.

2006, Dona Berta Sousão

Aspecto Límpido, lágrima persistente, disco fino, cor média com nuances granadas e vermelhas;
aromas desenvolvidos, limpo, fruta vermelha, passa, especiado, madeira presente; sabor seco, alguma frescura, alcool médio, taninos presentes, especiado, encorpado, intenso e final longo. Pode Guardar..Idela com pratos de confecção forte, feijoadas, ensopados, guisados. Deixe respirar, decante ou sirva em copo largo.
Temperatura de 17ºC

2008, Barranco Longo Oaked Rose

Conheci o produtor deste vinho num jantar na Taberna 2780. Acho que é arrojado, pois tentar fazer vinho no Algarve não é para todos. Não, devido à qualidade do terroir, mas por ser uma região que se encontra adormecida, meio moribunda. MAs acho que o Algarve vinicola acordou, ou começa a acordar com a qualidade dos seus vinhos.
Gostei particularmente de um: O Rosé Oaked.
Provando pela 2ª vez, no Vila Joya ficou as seguintes notas de prova:
Aspecto Límpido, cor vermelha, cor de morango; aroma jovem, fresco, frutos vermelhos a notar-se um pouco a madeira, mas tudo bem integrado; sabor seco, acidulo presente, alcool suave, frutado, frutos vermelhos, framboesas a realçar, corpo médio, intensidade e final apeticível.
Para quem quer conhecer o ALgarve pelo vinho, fica aqui um optimo vinho, bem como, um produtor a visitar.
Adega Algarvia é quem distribui.

2010-Novo Ano-

Depois de alguns meses fora, volto a dar noticias....

Em Janeiro, foi um mês de grande aprendizagem no que diz respeito ao mundo dos vinhos e gastronomia.

Estive no Evento do Vila Joya, com o apoio da Nespresso, um das entidades patrocinadoras.
Foram 3 dias de grande qualidade repartidos ao longo da semana.
Tive a oportunidade de estar no meio de alguns dos melhores cozinheiros do mundo, onde retirei ideias, novas informações acerca do que se faz em cada restuarnte participante ( através dos seus chefs).

tive também o prazer de jantar com o chef Henrique Leis, ficando deveras impressionado com a sua humildade e à vontade para falar de tudo um pouco acerca de gastronomia.

Mas ao que diz respeito, neste caso ao blog, falemos dos vinhos degustados:

2008,Reguengos de Melgaço
Aroma jovem, intenso, frutos tropicais, algum floral, com notas de frutos de árvore, pessêgo, alperce.
Sabor seco, acídulo, alcool suave, fruta citrina, toque floral a enriquecer, corpo intenso e final persistente

2007 PRIMUS Vinho Branco
Aspecto límpido, cor amarela pálida; aroma jovem, intenso, fruta madura, notas de pessêgo, compota, madeira presente anotar-se um toque especiado, algum brioche, levêdo, e bolacha de manteiga. Sabor seco, acídulo q.b., frutado, alcool suave, corpo médio e final longo.