sexta-feira, 15 de junho de 2007

A CAMINHO DE BORDEÚS..DIÁRIO DE BORD(EUS)

Um grupo de enófilos vai juntar-se para fazer uma viagem à maior feira de vinhos do mundo:
VINEXPO 2007, em Bordeús
vamos tentar relatar a viagem todos os dias. entaremos expor todos os vinhos provados(pelo menos os mais relevantes).

Contagem descrescente para a viagem:
Falta menos de 24 horas para a viagem....
saudações vinícas....

SENHORES DO VINHO



  • Os senhores do vinho encontram-se divididos de acordo com a sua importância, saber e o que fornecem ao vinho.

    Enólogo
    Enófilo
    Sommellier / Escanção
    Provador

    Cada um fornece ao vinho algum saber e acima de tudo uma comparticipação elevada de fomentar o consumo do vinho e acima de tudo para alguns de criar ou elaborar bons vinhos e também não deixar que se encontrem vinhos maus. Estamos a referir-nos ao enólogo e provador. Por outro lado o sommellier tem importância na maneira como aconselha e o enófilo tem apenas a responsabilidade de ter prazer em bebe-lo e ser parte muito importante do trabalho feito por todos aqueles que proporcionaram a chegada do vinho à mesa.

    Enólogo
    Pessoa responsável pela elaboração do vinho, desde a vinha até passando pelas fases de produção e acabando na comercialização do vinho. É ele que tem responsabilidades em elaborar um bom vinho.
    Deve por isso cuidar e manter os níveis elevados de precaução na vinha. É na vinha que se fazem os grandes vinhos e também todos os vinhos.
    Uma vinha cuidada faz bom que na adega não se escalpelize o produto bruto com demasiados produtos.
    O enólogo é pois a pessoa mais responsável, pois tem que tentar produzir um bom vinho e deverá estar sempre atento á sua evolução mesmo quando o vinho se encontre na prateleira de um supermercado ou nas caves de um restaurante.

    Enófilo
    Pessoa amante de vinhos, que tenta descobrir com prazer o néctar dos deuses.
    Para o vinho e atendendo que tem papel importante na parte final do vinho, isto é, quem o vai consumir.
    É aquele que tenta provar de uma forma empírica, de acordo com os seus gostos e também de acordo com as suas experiências anteriores no contacto com o vinho. Enófilo compra livros da especialidade e interessa-se pelos vinhos de uma forma apenas de gostar e de prazer.
    É uma pessoa importante.


    Sommelier / Escanção
    É o profissional de vinhos, quem tem a responsabilidade de gerir e organizar uma carta de vinhos, servir os vinhos e aconselhar os mesmos aos clientes.
    É uma pessoa de extrema importância num restaurante, pois é ele que deve aconselhar os vinhos aos clientes, tentar harmonizar vinho e comida e tentar que a sua carta de vinhos tenha um leque de opções diversos para conseguir fazer face aos gostos dos clientes.
    Apesar desta profissão ter andado um pouco esquecida por parte dos restaurantes, não sabendo o porquê, pensamos que cada vez mais um sommelier é importante para que, acima de tudo, faça a ponte entre e combine com a cozinha e também de fornecer uma refeição muito mais agradável.

    Provador
    Pessoa responsável a nível técnico nas câmaras de provadores no sentido de classificar os vinhos de acordo com as suas qualidades e também de determinar se tem condições de passar para o consumidor ou não.
    Vai aferir e colocar parâmetros de prova para designar os vinhos de cada região.
    Não esquecer que cada região tem os seus provadores, que muitas vezes são enólogos e já existe nalguns casos sommeliers.
    São também importantes para aferir da qualidade dos vinhos que passa para o consumidor. Muitas vezes a diferença de região para região passa muito pelo designativo de qualidade de cada Comissão Vinícola.


CARACTERÍSTICAS DOS VINHOS NUMA CARTA DE VINHOS

VINHOS BRANCOS

JOVENS, ACIDULOS E REFRESCANTES

Uma marcada acidez é a característica mais destacada destes vinhos. Tanto no nariz como na boca deixam uma sensação fresca, frutada e relativamente ligeira.
Ao combinar um vinho com alimentos deve-se ter atenção, em primeiro lugar, à acidez, que não deverá ser muito acentuada.
Além do papel tradicional que tem em acompanhar peixes gordos, estes vinhos não cansam as papilas gustativas, podendo por isso acompanhar com diversas entradas.
Além disso estes vinhos refrescantes são excelentes para equilibrar a exuberância de alguns guisados.


AROMÁTICOS ENVOLVENTES

A procura de o casamento perfeito entre comida e vinhos é algo que o anfitrião tenta conseguir para que os seus convivas nunca esqueçam aquele jantar e acima de tudo o vinho.
Neste tipo de vinhos temos que ter em conta a estrutura do vinho, isto é, a graduação alcoólica se encontra de acordo com a complexidade e corpo do mesmo.
São vinhos que a acidez está mais moderada, aromas mais expressivos ao nível da fruta tropical, citrina e frutos de árvore.
As iguarias a harmonizar com estes vinhos são peixes não muito gordos, saladas compostas, não muito temperadas (a combinação sal e álcool deixa uma sensação amarga). Queijos não muito gordos podem harmonizar com este tipo de vinho.

SEDOSOS, EQUILIBRADOS COM TEXTURA

Estes vinhos surpreendem pelo olfacto e paladar graças a uma estrutura de aromas exóticos e envolventes que resultam muitas vezes em toques perfumados.
Os aromas no caso destes vinhos limita um pouco a combinação pois são aromas sensíveis e estruturados, quando combinados com uma iguaria que não se adapte com ela, fica um vinho banal.
A primeira impressão que estes vinhos deixam na língua é uma certa suavidade com toque doce e complexo. A sensação que deixa na boca intensifica-se devido à baixa acidez que o assiste, deixando a descoberto toda a sua estrutura que o enriquece.
As iguarias aconselhadas são peixes não muito condimentados, com temperos fortes. Nas carnes, pratos de caça de penas e carnes vermelhas.”Chutneys”, molhos picantes não são bons companheiros para este tipo de vinho.

VINHOS ROSÉS

FRESCOS, FRUTADOS E ELEGANTES

São vinhos que devido à sua cor apelativa, frescura bem presente onde existe um casamento entre acidez e aroma, baixa % de álcool, estimulam o apetite e são agradáveis aperitivos, refrescando o paladar e apagando a sede.
Os rosés são vinhos que se encontram num espaço cada vez mais apetecível, pois encontra-se entre os vinhos brancos e tintos.
São vinhos que acompanham bem entradas pouco elaboradas, saladas, acepipes, carnes brancas e peixes grelhados.
Os roses são óptimas escolhas para acompanhar refeições ligeiras, almoços pois complementam a frescura, o frutado num só.

VINHOS TINTOS

JOVENS, FRUTADOS E EQUILIBRADOS

Estes vinhos são vinhos que podemos denominar de “vinhos de almoço”. As características que apresentam são de grande intensidade aromática e acidez correcta.
O sabor e aroma presentes nestes vinhos são fundamentais para a sua grande capacidade de combinação, pois são acompanhamentos ideais para pratos pouco completos.
A acidez que têm devido à falta de taninos, a suavidade da textura e o carácter frutado, aliado a uma temperatura mais baixa dão um conjunto equilibrado aquando a combinação com iguarias.

ENCORPADOS COM ELEGÂNCIA

Estes vinhos apresentam características marcantes ao nível da finura, do equilíbrio de acidez com taninos e acima de tudo um conjunto harmonioso.
O que exalta mais neste tipo de vinhos é o perfume, aromas a fruta silvestre. O equilíbrio entre acidez, açúcar (ligeiro, uvas muito maduras) e tanino resulta um vinho entusiasta e envolvente.
Acompanha bem pratos que sejam algo condimentados, pratos de caça, dando-lhes frescura e uma envolvência de aromas e sabores que enriquecem o conjunto.

ESPECIADOS, VOLUMOSOS COM MADEIRA

Vinhos que apresentam aromas e sabores com alguma juventude aliados de aroma de evolução. São estes aromas que enriquecem o conjunto e dão estrutura e corpo aos vinhos.
A % de álcool relativamente elevada e o estágio em barricas de carvalho, conferem a estes vinhos uma certa intensidade degustativa e uma consistência sedosa, ao mesmo tempo que os taninos ao sabor são arredondados.
Estes vinhos contêm os 3 sabores de base, o amargo com os taninos, o doce do álcool e glicerina e o acídulo da acidez dos vinhos.
Devidas as estas características conseguem abarcar um paladar rico, encorpado e envolvente.